quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Cara amarela

Apesar de saber que Amy já passou da idade de ter cara da maioria das crianças quando nascem, amarela, fiquei preocupado quando Priscilla me perguntou se eu havia notado alguma diferença na cor de nossa filha. A meu ver, ela não poderia estar com icterícia, termo médico para o popular amarelão, já que a levo para tomar banho de sol quase todos os dias, principalmente de manhã, quando não está ventando. Depois de consultar alguns sítios internéticos, minha mulher ficou sabendo que a cara amarela de nossa filha não era doença, não, só sinal de que estávamos dando a ela muitos alimentos com betacaroteno (“composto carotenóide responsável pelo pigmento alaranjado de frutas e vegetais”), como brócolis, mandioquinha, abóbora, cenoura, laranja, mamão e caqui. Começamos a corrigir o problema (ontem mesmo, cozinhei beterraba) antes de voltarmos, na data deste texto, à pediatra do hospital onde trabalha um doutor cuja cara ora digo que é do David Bowie, ora do Andy Warhol.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.